Os mascotes da série A do Brasileirão

por | 07/07

Personagens que contam um pouco da história do time e criam identificação com a torcida, os mascotes são parte essencial para os times Brasileiros. Não tem um torcedor mais fanático que não conheça a história por trás do mascote do seu time. No álbum do Campeonato Brasileiro, eles aparecem, sempre renovados.

Esse ano as figurinhas desses personagens vieram em amebas circulares, casando perfeitamente com o design das páginas dos clubes. Mas você conhece e sabe a história por trás dos mascotes da série A do Campeonato Brasileiro? Vem que a gente conta!

 

Atlético-GO: O mascote adotado pelo Atlético-GO é o dragão chinês. E ele foi escolhido porque quando o clube foi fundado, em 1937, o personagem oriental era símbolo de força e poder de ataque e defesa. Isso porque era muito comum que dirigentes e torcedores frequentassem um pequeno cinema no município de Campinas, Goiânia, onde séries eram exibidas. A série oriental O Fu-Ma-Chu, tinha a gangue do dragão vermelho e foi responsável por popularizar a figura do animal mitológico como um símbolo.

 

 

 

 

Atlético-MG: O mascote do Atlético-MG é tão conhecido que popularmente, pouco se chama o time pelo nome real e sim pelo apelido: GALO! E a história de como o animal se tornou o mascote do clube é a seguinte: o chargista Mangabeira, em 1945, foi incumbido de desenhar um mascote pro time de Minas. Pensando na raça que a equipe dava em campo e na característica de “brigar até o fim”, o artista desenhou um galo vingador, fazendo analogia aos galos de briga. O Galo Doido pegou desde então!

 

 

 

 

Atlético-PR: O Atlético-PR é bastante conhecido como Furacão, que hoje é o símbolo oficial do clube. Mas o mascote da equipe já foi o Cartola, até, no ano passado, o clube abrir uma votação para a troca desse personagem, porque os dirigentes consideram o desenho parecido com “os ricos do pó de arroz” do Fluminense.

 

 

 

 

 

Avaí: O Leão da Ilha é o mascote do Avaí, que foi adotado pelo clube, depois que o narrador de uma rádio de Florianópolis classificou a equipe como um Leão pela bravura em campo, na década de 1950. O apelido acabou pegando e hoje o time é chamado carinhosamente pelo nome do personagem.

 

 

 

 

Bahia: O mascote do Bahia é ninguém menos que o “Super-Homem” ou “Homem de Aço” e foi criado a partir dos apelidos “Tricolor de Aço” e “Esquadrão de Aço” do clube. O desenho atual foi feito por ninguém menos que Ziraldo.

 

 

 

 

 

Botafogo: O Fogão tem mais de um mascote e entre eles está o cachorro. E a história desse símbolo é bem bacana. Em 1948, o zagueiro Macaé tinha um cachorro chamado Biriba, que foi levado aos jogos pelo então presidente, Carlito Rocha. O cãozinho deu sorte e o time ganhou o Campeonato Carioca invicto. A partir daí, o mascote foi adotado pela equipe.

 

 

 

 

 

Chapecoense: A chape escolheu como mascote um índio, para casar com o nome da sua Arena, que homenageia Vitorino Condá, líder do povo indígena “Kaigang”. No ano passado, inclusive, um garotinho de 2 anos ficou famoso mundo à fora depois de encantar o Estádio vestido com um cocar nos jogos do Verdão.

 

 

 

 

 

Corinthians: Muita gente ainda duvida de qual é o mascote correto do Timão, já que o que foi adotado pela principal torcida organizada do clube, é bastante conhecido: o Gavião. Mas a verdade, é que o Mosqueteiro é o símbolo oficial do clube. Não se sabe ao certo a história dessa escolha, mas o personagem é ícone de valentia e luta, algo que condiz bastante com a história do Corinthians.

 

 

 

 

 

Coritiba: O mascote do Coritiba é carregado de história. O Vovô Coxa representa o grupo de jogadores alemães que deram os primeiros chutes que fundaram o clube, 1909. Nada poderia representar mais a equipe, que é a mais antiga do Paraná. O time, porém, só adotou oficialmente o personagem como mascote em 1957.

 

 

 

 

 

Cruzeiro: Mangabeira também foi incumbido de desenhar o mascote do Cruzeiro, como havia feito para o Atlético MG. Ele escolheu a Raposa se inspirando na então gestão de Mário Grosso, considerada inteligente e astuta. Ele também incluiu uma alusão ao rival do clube, já que a Raposa se alimenta de galináceos.

 

 

 

 

 

Flamengo: Inicialmente o mascote do Flamengo era o personagem Popeye, mas um belo dia, em 1969,  um clássico contra o Botafogo, o clube resolveu responder às provocações dos rivais que chamavam o time de “urubus”, levando um Urubu com a bandeira do Flamengo para o Maracanã. O Mengão venceu o jogo e quebrou um tabu de 9 partidas sem vencer o Fogão. A partir daí, o mascote foi adotado pela torcida no lugar do Popeye.

 

 

 

 

 

Fluminense: O Fluminense teve o Cartola como seu mascote por muito tempo, mas recentemente o clube decidiu trocar o seu personagem símbolo, porque o público associa os cartolas de forma pejorativa hoje em dia. Foi adotado assim, o Guerreirinho, mascote que faz referência a diversas histórias do clube, guerreiro em muitos momentos.

 

 

 

 

 

Grêmio: O Grêmio também tem um mosqueteiro como mascote. Contam que na década de 40, os torcedores levavam a imagem do chargista Pompeo, da Folha da Tarde, para os jogos. Em 1946, o clube adotou oficialmente o mascote, simbolizando o espírito de equipe com que os mosqueteiros são conhecidos.

 

 

 

 

 

Palmeiras: O mascote oficial do Palmeiras é o periquito e foi adotado em 1917, como uma homenagem às aves que frequentavam o Parque Antártica. Porém, um outro mascote adotado pela torcida foi oficializado em 2016, pelo clube: o Porco. O que começou como uma gozação dos rivais, se tornou um símbolo amado pelos palmeirenses.

 

 

 

 

 

Ponte Preta: A Macaca é outro mascote super conhecido pelo público. E ela tem uma história bem interessante. Sendo um dos clubes mais antigos do Brasil, com mais de 100 anos de história, a Ponte garante que foi o primeiro time a ter jogadores negros em seu elenco. Naquela época, o racismo era ainda mais intenso do que hoje em dia e os rivais gritavam nas arquibancadas que a Ponte era um time de “macacos”. O clube decidiu então, adotar a Macaca como mascote, dando a melhor lição e resposta aos gritos racistas.

 

 

 

 

Santos: O apelido mais conhecido do Santos é peixe, mas o mascote oficial é uma baleia. Existe essa diferença porque antigamente, os rivais provocavam o Santos com gritos de “peixes podres” e “peixeiros” pelo time ser de Santos. A torcida abraçou os apelidos “peixeiros” e “peixe” com orgulho, mas o mascote escolhido pelo clube é a Baleia, porque ela é um dos maiores predadores dos mares.

 

 

 

 

São Paulo: Para combinar com o nome do clube, um colunista do jornal A Gazeta Esportiva criou o Santo Paulo e o velhinho agradou os torcedores logo de cara, sendo adotado como mascote oficial do clube. Anos mais tarde o São Paulo passou a ser apelidado de “time da fé”, o que casou perfeitamente com o seu nome e mascote. A identificação foi tanta, que até hoje nunca surgiu um segundo mascote ou apelido pro Tricolor Paulista.

 

 

 

 

Sport: O Leão do Norte, foi adotado a partir de 1919, quando o Sport venceu o Troféu Leão do Norte, uma competição da época. O desenho do time tem até nome, que é Leo, e foi criado pelo chargista Humberto Araújo.

 

 

 

 

 

Vasco: O almirante é o mascote oficial do Vascão, em homenagem ao navegador Vasco da Gama, que deu nome ao clube. Em 2009, o  desenho do mascote foi feito por um torcedor, num concurso cultural.

 

 

 

 

 

Vitória: O Vitória também tem um Leão como mascote e ele foi escolhido em 1902, por ser símbolo de nobreza. O desenho oficial do clube foi criado pelo publicitário Nizan Guanaes e apelidado de Lelê.

 

N

E aí, torcida? Curtiu conhecer melhor os mascotes dos clubes da série A? Lembrando que essas e todas as demais figurinhas podem ser pedidas online AQUI! #BrasileirãoPanini

COPYRIGHT © 2016 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.

PANINI S.P.A. - Acionista Único - Viale Emilio Po, 380 - 41126 Modena, Itália Tel. +39 059 382450 - Fax +39 059 827431 Capital Social € 100.000.000,00 Código Contribuinte 02796411201 Código VAT IT02796411201 Registro na Câmara de Comércio 411936.

Pin It on Pinterest

Share This